MESA REDONDA: O PENSAR GEOGRÁFICO NA TRILHA DA PANDEMIA

A Diretoria Executiva da AGB-Aracaju convida seus associados, toda comunidade geográfica e a sociedade em geral para participar deste momento importante de reflexão e construção do conhecimento geográfico.

Data: 29/05/2020

Horário: 16h

Link de acesso: https://meet.google.com/izc-vcoe-ync

Convidadas:

Drª Ana Consuelo Ferreira Fontenele – Doutora em Geografia e Mestre em Agroecossistemas. Gerente de Avaliação e Impactos Ambientais – ADEMA – SE;

Drª Josefa de Lisboa Santos – Doutora em Geografia. Professora do Departamento de Geografia – UFS – Itabaiana.

EMENTA: A importância da Ciência Geográfica é analisar as relações sociais e as relações do homem com a natureza, inerentes à produção do espaço geográfico, que ao longo da história é construído e reproduzido mediante as transformações das distintas relações sociais, tecnológicas, políticas, econômicas e culturais. O Geógrafo tem uma importância fundamental nas análises destas transformações, na qualidade da reflexão teórico-prática, a partir de um método teórico e epistemológico que contribui para compreender e intervir no espaço geográfico em seu tempo. Um Bate-papo Geográfico sobre “O Pensar Geográfico na Trilha da Pandemia” torna-se, neste momento, objeto fundamental para reflexão e análise acerca das implicações espaciais na cidade e no campo, contribuindo, consequentemente, com o enfrentamento à pandemia do Novo Coronavírus. Portanto, a partir dos conceitos da Ciência Geográfica, torna-se imprescindível compreender o processo da produção do espaço geográfico perante as mudanças sociais, ambientais, políticas e econômicas promovidas pelo modo de produção capitalista.

O QUE SERÁ DISCUTIDO?

Relação sociedade-natureza e a produção do espaço urbano em tempos de Covid-19 (Drª Ana Consuelo Ferreira Fontenele)

  1. Panorama geral sobre a emergência de doenças infecciosas (especialmente as zoonoses) em relação à origem, manipulação, comercialização e transformação de alimentos em mercadorias;
  2. O processo de urbanização, espacialização das estruturas urbanas em relação as áreas destinadas a preservação e conservação (falta de saneamento, modificação na vida silvestre, redução da biodiversidade e o favorecimento da pandemia);
  3. O Estado no enfrentamento da pandemia através das instituições democráticas de regulação e regulamentação sob o ponto de vista ambiental (desregulamentações);

A questão agrária em tempos de Covid-19 – (Drª Josefa de Lisboa Santos).

  1. A Questão Agrária frente a ausência da Reforma Agrária no Brasil/Sergipe;
  2. Produção camponesa e os enfrentamentos contra Pandemia de Covid-19;
  3. Como os movimentos sociais do campo têm se organizado para a produção de alimentos e na mobilização solidária, visando garantir o abastecimento da população.